Educação empreendedora

educação_empreendedorismo1

Conheça a prática na União Europeia

Esforço estratégico para Educação Empreendedora como competência supranacional.

No começo do século XXI, o Parlamento Europeu incluiu o empreendedorismo como uma das competências-chave para aprendizado ao longo da vida. Na União Europeia, 8 países já lançaram estratégias de promoção da Educação Empreendedora. 13 países já incluem Educação Empreendedora na estratégia nacional de ensino. Metade dos países da União Europeía estão reformando seus sistemas de ensino para inserir Educação Empreendedora.

Fonte: http://europa.eu/rapid/press-release_IP-12-365_pt.htm

Conheça a prática na Finlândia

Cooperativas como modelo para educação empreendedora

Cooperativas com objetivo de preparar os estudantes para prática da administração de negócios, cooperação, trabalho em equipe, despertar e desenvolver o pensamento empresarial.

A escolha da cooperativa se dá em virtude das suas características pedagógicas de ensino, ou seja, a cooperativa permite a vivência do trabalho em equipe (acolhimento de ideias distintas, consenso, tomada de decisão em conjunto) e a internalização da natureza interativa do empreendedorismo. A cooperativa evita os riscos de começar um negócio sozinho. Não há exigência de capital inicial para o começo do negócio. A cooperativa tem personalidade e responsabilidade legal. Ela prepara melhor o estudante.

Existem três tipos de cooperativas: 1)as cooperativas que são criadas pela instituição e os professores; 2)cooperativa criada pelos próprios estudantes; 3)cooperativas criadas por estudantes para atividade de lazer. Tipo 1) os estudantes são membros da cooperativa, durante o período de estudos. Contudo, estudantes formados podem permanecer membros após a graduação, e continuar seu trabalho, vendendo-o, através da cooperativa. Este tipo de cooperativa funciona tanto como uma incubadora de negócios como uma plataforma de lançamento para uma carreira no mundo dos negócios. Tipo 2) Neste caso,  alunos do mesmo ano criam a cooperativa. Trabalhar na cooperativa é parte dos seus estudos. Ao concluí-lo, eles decidem se continuam trabalhando na cooperativa ou a deixam. Muitas dessas cooperativas continuam operando, contando com 3 a 7 membros, aproximadamente. Algumas dessas foram transformadas em sociedades limitadas. Neste modelo, uma companhia viável, com membros experientes, ingressa no mercado. A chance de sucesso é maior. Àqueles membros que deixam a cooperativa terão adquirido uma atitude empreendedora e hábitos de trabalho. Tipo 3) estudantes que criam a cooperativa durante seus estudos, mas elas não estão relacionadas ao curriculum ou instituição, ou seja, criam a cooperativa para atividade de lazer.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=7170&tr_pk=5972

Conheça a prática em Portugal

Programa Nacional de Educação para o Empreendedorismo

Um mês de atividade de competição entre estudantes do ensino secundário – com 17 anos de idade, aproximadamente. O objetivo é estimulá-los a encontrar novas ideias para problemas que eles identificaram.

Objetivo: implementar “projetos em escola de todos os níveis de ensino para desenvolver competências e atitudes empreendedoras nos estudantes” (Educação e Formação 2020, Relatório Nacional de Progresso 2011, p.55)

Público-alvo: órgãos de gestão das escolas, estudantes e discentes de todos os níveis do ensino público.

Resultado: ano de 2010 atingiu o total de 357 projetos e 3.943 estudantes. Destes, 54 são do pré-escolar, 208 do primeiro ciclo da educação básica, 1028 do segundo ciclo da educação básica, 1127 do terceiro ciclo da educação básica, 1.526 do ensino básico e profissional. Foram realizadas 366 parcerias para atingir esse resultado.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=5850&tr_pk=4110

Educação e Formação 2020, Relatório Nacional de Progresso 2011 http://ec.europa.eu/education/lifelong-learning-policy/doc/natreport11/portugal_pt.pdf

 

Conheça a prática em Pisa, Itália

Programa voltado para jovens de 16-19 anos. Imersão no método aprender fazendo

Trata-se de um programa voltado para permitir aos jovens uma intensa experiência de aprendizado dos fundamentos do espírito empreendedor. Neste programa, eles desenvolvem habilidades e competências para trabalhar em equipe e criar produtos e serviços. No período de outubro a maio, estudantes selecionam uma equipe de gestão, elaboram um plano de negócios, produzem e vendem produtos reais e serviços, organizam reuniões, avaliam a possibilidade de patenteiar ideias, dentre outros exercícios para habilitá-los. Na primavera, há oportunidade de participar dos eventos e feiras regionais, nacionais ou internacionais. Uma oportunidade de interação com colegas, e de testar estratégias na vida real. O melhor grupo, selecionado por painéis regionais, pode apresentar seu trabalho em competições nacionais (BIZ FACTORY)  e participar  das próximas competições europeias.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=10210&tr_pk=9219

 

Conheça a prática em Padova, Itália

O Fórum de Empreendedorismo e Inovação

Visa reunir academia e comunidade. Trata-se de um encontro voltado para o aprofundamento no tema educação e empreendedorismo, e inovação. Registra-se a participação de 4.000 pessoas. Há workshops e seminários para promover o espírito empreendedor, mesa com rodada de discussão sobre inovação, reunião com renomados cientistas para aproximar a ciência e o empreendedorismo e promover a pesquisa científica nesse tema, depoimentos de empreendedores, etc. As atividades de workshops, mesas redondas com depoimentos de empreendedores e mesas de discussão com cientistas se complementam.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=10392&tr_pk=9424#

 

Conheça a prática em Padova, Itália

O projeto ajuda professores da escola secundária desenvolver cursos em empreendedorismo.

A capacitação é modular, baseada no aprender fazendo, sendo combinada com estudos teóricos em empreendedorismo. O aprender fazendo se dá através de visitas às empresas e cursos “sanduíche”.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=1296&tr_pk=2710

 

Conheça a prática em Vicenza, Itália

Empresa Júnior de Gestão em Engenharia dos estudantes de Vicenza.

 

A Empresa Júnior de Gestão em Engenharia dos estudantes de Vicenza, há 15 anos, opera em parceria com empresas privadas, órgãos públicos e instituições. Através de vários projetos e colaborações, permite o engajamento dos discentes com a vida econômica, profissional e empresarial do próprio país. Tem como missão oferecer aos estudantes a possibilidade de enriquecer seu treinamento e adquiriir habilidades que não se obtêm na universidade, em sala de aula. Tais como o trabalho em equipe, comunicação, liderança e o espírito empreendedor. Como objetivo, o projeto oferece a possibilidade de começar seu próprio negócio ou implementar um projeto inteiro para um novo cliente.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=9030&tr_pk=8920

Conheça a prática na Finlândia

Desenvolver Programa de Treinamento para mudança controlada de gestão. Estudante e empresário em situação de sucessão empresarial.

Na Finlândia, além do uso de cooperativas como modelo para educação empreendedora, há o esforço em produzir e executar um programa de treinamento para desenvolver habilidades e competências empreendedoras, e permitir aos estudantes vivenciarem situações de sucessão empresarial nos negócios. Ou seja, prover habilitação em situações de mudanças controladas. Busca-se produzir 2.ooo continuadores para o mercado, no ano de 2013.

O programa conta com 4 módulos voltados para a elaboração de um plano de desenvolvimento pessoal, desenvolvimento de competências para tomada ou posse da companhia,  a execução da tomada ou posse da companhia e , por fim, o aprendizado e a mostra de experiências.

O Programa é co-financiado pelo Ministério do Comércio e da Indústria e do Fundo Social Europeu (FSE ) . Programa desenvolvido por FINPIN (Finnish polytechnics network) c/o Lahti University of Applied Sciences (UAS), Innovation Centre.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=1932&

 

Conheça a prática na Suécia

Programa voltado para quem não enxerga a possibilidade de comercializar seus achados de pesquisa.

Programa curto e específico para comercializar os achados de pesquisa, com possibilidade de consultoria e espaço em uma incubadora de negócios.

Na Universidade Tecnológica de Chalmers, existem 2000 estudantes de doutorado que não sabem ou enxergam a possibilidade de comercializar suas pesquisas. A publicação da pesquisa é uma ação promissora para suas carreiras.  O programa de treinamento para comercialização de pesquisa tem como diferencial ser um curso curto e específico, em língua inglesa, dividido em 3 partes: identificação de ideias de negócios, regras de pesquisa e estratégias de proteção. Pesquisadores não dispõem de muito tempo para aprender sobre a comercialização dos resultados da sua investigação/ pesquisa. Após o treinamento, os pesqusiadores contam com a possibilidade de consultoria e de um espaço em uma incubadora de negócios.

Público – alvo:  prefeitos/gestores da Universidade de Chalmers e Universidade de Gothemburg, pesquisadores PHd (doutorandos) e professores.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=3430&tr_pk=3966

 

Conheça a prática na Suécia

Programa Jovens Empresários. Público -alvo: estudantes de nível secundário

Curso ministrado na escola, no período de um ano. Oferece a possibilidade dos estudantes de nível secundário vivenciarem o ciclo de vida dos negócios. A metodologia aprender fazendo conta com o apoio e orientação de professores e conselheiros-especialistas do mundo dos negócios. Os negócios nascem das idéias dos próprios estudantes, e proporcionam a oportunidade de desenvolver sua criatividade e habilidade empreendedora.

Publico-alvo: estudantes do nível secundário, de 16 a 20 anos.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=3410&tr_pk=3965

 

Conheça a prática na Alemanha

 

Conheça a prática em Stuttgart, Alemanha

Copa de jogos de negócios em universidades.

Objetivo: criar uma rede de startups entre universidades e colégios, e permitir o aprendizado na gestão do próprio negócio. Trata-se da participação de estudantes de vários níveis das universidades e do colegial, que se divertem e aprendem. Estudantes trabalham como jovens empreendedores em times de 3-6 pessoas. Aprendem e vivenciam a experiência de pensar estratégias econômicas e como as companhias competem, através de um simulador computadorizado. Há três fases ou níveis de competição.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=1450&tr_pk=2374

 

Conheça a prática na Bavária, Alemanha

Escola especializada em educação para o empreendedorismo. Nessa escola de gramática, estudantes a partir do 10º. ano aprendem a construir uma vida independente, contando com o desenvolvimento da habilidade de liderança, enquanto concluem ou completam sua qualificação escolar.  Estudantes participam de workshops com empresários experientes, bem como contam com uma rede de trabalho com 80 companhias e instituições. Estudantes também obtêm experiência em projetos tais como obter alimentos e fornecedores para a merenda escolar.

Fonte: http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=6390&

 

Conheça a prática na Saxônia, Alemanha

Rede da Saxônia que oferece treinamento para trabalhadores, estudantes e professores.

Na Alemanha, há uma rede da Saxônia que oferece treinamento para trabalhadores, estudantes e professores em um dos sete maiores estabelecimentos de ensino. Eles recebem apoio para lançar suas idéias e negócios, bem como conselhos de especialistas. Tem como objetivo contribuir para geração de empregos, reter talentos e startups em torno do campus universitário.

Público -alvo: estudantes, professores, assistentes em universidades.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=1318&tr_pk=2367

 

Conheça a prática no Reino Unido

Estratégia governamental intitulada Determinado para o Sucesso.

No Reino Unido, Escócia, há uma estratégia governamental para ensinar e aprender sobre empreendedorismo intitulada Determinado ao Sucesso. Trata-se de iniciação ao mundo empresarial. Público-alvo com idade entre 5-16 anos. O programa é dirigido pelo governo escocês e uma equipe de 32 pessoas.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=1570&tr_pk=3571

 

Conheça a prática em Amsterdã

Há um centro de empreendedorismo com projetos e programas de ensino multidisciplinar, da graduação a pós-graduação. A educação multidisciplinar tem foco no desenvolvimento de habilidades e competências empreendedoras e empresariais. 90% dos estudantes universitários não têm contato com empreendedorismo ou não vêem o empreendedorismo como uma opção ocupacional/profissional – de carreira. O programa permite aos estudantes criarem companhias e aprenderem com o processo. 2.000 estudantes participaram do curso de empreendedorismo e 1.000 estudantes em cursos com carga horária menor. Desta turma, foram criadas 100 novas empresas. 300 estudantes se matricularam em cursos de pós-graduação em empreendedorismo. 20 start-ups foram criadas. Três cursos de verão sobre empreendedorismo foram realizados. 75 estudantes participaram e 15 novos negócios foram criados.

Fonte:http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/best-practices/database/SBA/index.cfm?fuseaction=practice.detail&gp_pk=9190&