Associativismo

associativismo1

Tema da Lei Geral (LC 123/2006) voltado para formação e fortalecimento de uma rede de empreendimentos de pequeno porte. Trata-se de criar e implementar mecanismos e instrumentos para estimular a aproximação, diálogo, interação e o desenvolvimento de laços de confiança e reciprocidade, com a finalidade de tecer, reconstituir e fortalecer o tecido associativo e o cooperativismo no local, e estimular a formação de Sociedades de Propósito Específico e consórcios para acesso a serviços especializados em segurança e medicina do trabalho. Uma Sociedade de Propósito Específico é constituída por firmas de pequeno porte optantes do SIMPLES. Essa sociedade de compra e venda pode ser voltada para o mercado interno e externo com o objetivo de reduzir custos, obter ganhos de escala e competitividade.

Saiba Mais

Conheça a prática no município de Iretama

Resumo do vídeo:  Conheça as ações do município vencedor da etapa estadual do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, VII edição. Ações que articulam associativismo, sustentabilidade e compra pública em um território com 10.622 habitantes e PIB  per capita de  R$ 9.472,09 (IBGE, 2010;2011)

5

http://www.uff.br/revistavitas/images/Galeria_Troca_Verde_Roberta_Soledade.pdf

 

Conheça a prática no município de Toledo

Resumo do vídeo: Fernanda Moreira é agente de desenvolvimento do município de Toledo.  Janice é integrante do Comitê Gestor da Lei Geral, docente e funcionária da Secretaria de Educação. Elas apresentam o Programa Cooperativismo na Escola, uma experiência piloto em 4 (quatro) escolas municipais  – duas escolas rurais e duas escolas urbanas. No vídeo, Janice aborda a inspiradora experiência argentina de Sunchalles, onde se aplica o cooperativismo no ensino médio e fundamental, destacando as características da unidade de ensino, o comportamento dos estudantes e o trabalho de algumas cooperativas dirigidas por estudantes.

Para implementar experiência similar em Toledo,foi necessário desafiar os secretários municipais e demais gestores públicos,  escolher 4 (quatro) dentre as 35 (trinta e cinco) escolas do local, discutir e criar uma experiência piloto em meio rural e urbano, estabelecer parceria publico-privada, promover a aproximação escola- comunidade e o engajemento da comunidade no Programa.

Dentre os passos estratégicos, Janice destaca as reuniões realizadas com os diretores das escolas, parceria público-privada para viabilizar a capacitação dos professores (com carga horária de 24 horas) e dos estudantes.  Destaque para ação de aproximação escola-comunidade. Estratégia fundamental para o sucesso e operação do projeto em cada escola municipal. Dentre os parceiros, Janice cita o SEBRAE, as cooperativas locais (SICOOB/cooperativa de crédito), o SESCOOP Paraná e as famílias dos estudantes.

O Programa Cooperativismo na Escola é um piloto com o objetivo de difundir o espírito cooperativista, promover o coletivismo, o diálogo, a tomada de decisão em equipe e uma formação humana com ênfase no bem comum. O cooperativismo é trabalhado de forma transversal aos demais conteúdos. O desafio nas escolas é criar e desenvolver um espaço de aprendizado calcado no exercício do diálogo, da vivência e tomada de decisão em grupo, na problematização e na proposição de soluções ou alternativas que visem o bem estar não somente do indivíduo,  mas da comunidade.

6

https://www.youtube.com/watch?v=v-ZKXMWmFzk

Em breve, conheça a prática no município de Ortigueira